ANP CHUMBA AGENDAMENTO DO PROGRAMA DE GOVERO: GENERAL EMBALÓ A UM PASSO DA DEMISSÃO   |   O "PRESIDENCIALISMO" DE JOSÉ MÁRIO VAZ   |   Quem Ganha e Quem Perde Nesta Crise de Surdos?   |   2017 ano da reforma na administração pública e de trabalho   |   «Considero-me um cidadão político... cujo primeiro compromisso é com o país, a Guiné-Bissau» - Garante o escritor Fernando Casimiro “Didinho”   |   Rss Gazeta de Notìcias
Document sans titre
Cultura
MANCHAS DE PÓLVORA NA ROSEIRA E NO CAPIM - 17-11-2012

Share |

Article posté le 17-11-2012

Luis Carlos Alves de Melo*

 

Disna, i ka di aos ku tera tindji di burmedju, ku sukuru bisti bom dia (não é de hoje que a terra se tinge de vermelho, e que a luz se transforma em escuridão).


A citação com a qual este artigo principia ilustra um dos capítulos de uma obra pouco difundida na esfera cultural: trata-se do livro Entre a Roseira e a Pólvora, o Capim[1], da poetisa guineense Saliatu da Costa. “Mortundadi”, como se intitula o poema do qual o trecho foi retirado, integra a segunda parte do livro, o qual, por seu turno, é dividido em três: a Roseira, a Pólvora e o Capim. A autora utilizou-se de figuras de linguagem para dar corpo e alma à sua composição, já que cada uma das seções do livro traz em sua essência um significado muito além do que nossos olhos podem ver.

A pólvora que mancha é uma expressão metafórica designada a representar os conflitos que são fatos constantes na vida do povo guineense. A roseira que está sendo manchada representa a Guiné-Bissau, flor que desabrocha mesmo em meio às tribulações, terra de homens e mulheres de coragem, que, desde cedo, têm seu destino marcado simplesmente pelo fato de serem africanos. O capim cuja essência acolhe os destroços e a seiva sangrenta da rosa despedaçada é a esperança de um novo amanhã, em que a terra deixará de ser tingida de vermelho e a luz não mais será escuridão.

O livro se insere no contexto da literatura luso-africana, que nasceu a partir da colonização dos povos africanos por Portugal, ou pelas mãos dos simpatizantes da cultura africana, e direciona nossos olhares para diversos pontos temáticos que estão, de certa forma, impregnados em sua construção poético-literária. Entre a Roseira e a Pólvora, o Capim apresenta, em seus poemas, uma série de aspectos militantes, dos quais podemos destacar a denúncia histórica, o combate moral, eivados de critica moral e social. Um dos pontos fortes é o sentimento humanitário que direciona a poesia africana a ganhar ares mais militantes do que estéticos. Os poemas partem em defesa dos homens e mulheres mortos, das mulheres mutiladas, das crianças desabrigadas, e de uma série de pontos problemáticos, exaltando a força do povo africano e da mulher negra, que ressurge com sua fachada intacta e com a alma em destroços.

Nota-se claramente nas produções literárias a ligação com questões de identidade, como a do prazer de ser negro, transmitindo em suas obras um sentimento positivo de pertencer à cultura negra, evidenciando esse orgulho e abrindo portas para o reconhecimento e união dos povos negros em prol de sua libertação e autonomia total.

Essa é a esperança de um povo que grita silenciosamente em meio a uma multidão que nem sequer se cala para ouvir os suspiros dos seus pensamentos.


* Luis Carlos Alves de Melo, Graduando em Letras – Faculdade da Alta Paulista – FAP, Membro GPARA - Grupo de Pesquisas em Argumentação e Retórica Aplicadas – UFS.



[1] Uma co-edição com sociólogo Miguel de Barros (Portugal) inclui um CD de declamações com direcção musical do Zé Manel Fortes, com vozes de Cícero Spencer Gomes e Dina Adão, algo inédito na produção literária da Guiné-Bissau.

 

COMENTÁRIOS
Document sans titre
E-mail:
Password:
 

Ainda não tem Área Pessoal?   » Registe-se
Esqueceu a password?   » Clique Aqui

0 Comentários

Pas encore de commentaire ajouté...
Cultura

Cultura
- APELO - 27-01-2016

Cultura
- Minino di nha Terra - 27-01-2016

Cultura

Cultura

Cultura

Cultura

Cultura

Cultura

Cultura

 

 

   
ÁREA RESERVADA
 
Document sans titre
E-mail:
Password:
 

Ainda não tem Área Pessoal?   » Registe-se
Esqueceu a password?   » Clique Aqui

   
   
   
EDITORIAL
 
 
   
Document sans titre
   
 
Gazeta de Notìcias, 2009 © Todos os direitos reservados - Design by CHRISTDOWEB