ANP CHUMBA AGENDAMENTO DO PROGRAMA DE GOVERO: GENERAL EMBALÓ A UM PASSO DA DEMISSÃO   |   O "PRESIDENCIALISMO" DE JOSÉ MÁRIO VAZ   |   Quem Ganha e Quem Perde Nesta Crise de Surdos?   |   2017 ano da reforma na administração pública e de trabalho   |   «Considero-me um cidadão político... cujo primeiro compromisso é com o país, a Guiné-Bissau» - Garante o escritor Fernando Casimiro “Didinho”   |   Rss Gazeta de Notìcias
Document sans titre
Mundo
LISBOA DIZ QUE PANSAU N’TCHAMA NUNCA TEVE ESTATUTO DE ASILADO POLÍTICO - 31-10-2012

Share |

Article posté le 31-10-2012

O governo português esclareceu no domingo, através do Ministério dos Negócios Estrangeiros, que Pansau N’Tchama, o militar acusado pelo Governo de transição guineense de ter liderado o ataque à unidade dos Para-comandos em Bissau "não tem, nem nunca teve, o estatuto de asilo político em Portugal".

"Em relação a alegações recentemente efectuadas pelas entidades guineenses não reconhecidas internacionalmente de que o capitão Pansau N’Tchama teria tido estatuto de asilo político em Portugal, o governo português esclarece que esse cidadão guineense não tem, nem nunca teve, o estatuto de asilo político em Portugal", diz a semana reportando uma notícia da Lusa que cita o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE), Miguel Guedes.

"O Estado português não se presta por isso, em nenhumas circunstâncias, a qualquer instrumentalização para efeitos de questões internas do poder militar em Bissau", acrescentou.

O governo de transição guineense, formado na sequência do golpe militar de 12 de Abril deste ano, exigiu "uma explicação clara e justificada" de Lisboa sobre "a expedição terrorista do capitão Pansau N´Tchama à Guiné-Bissau", antes de "ser forçado a rever as suas relações com Portugal".

A exigência surgiu em forma de comunicado do Conselho de Ministros, após uma reunião extraordinária na sequência da prisão, no sábado, de Pansau N´Tchama, acusado pelas autoridades da Guiné-Bissau de ter sido o responsável por um ataque a um quartel no passado domingo, 21 de Outubro, de que resultaram seis mortos.

Também este domingo, o porta-voz do Estado-Maior das Forças Armadas guineenses, o tenente-coronel Daba Na Walna, afirmou que Portugal de forma "directa ou indirecta sabia das movimentações" do capitão Pansau N’Tchama. "Como é que um indivíduo que se encontrava em Portugal, com o estatuto que ninguém sabe ao certo se de residente ou se de exilado político, aparece aqui a atacar um quartel fortificado? Portugal não cuidou bem da vigilância ao Pansau", afirmou Na Walna.

O Governo de transição da Guiné-Bissau formado na sequência do golpe militar de 12 de Abril não é reconhecido pela maior parte da comunidade internacional, incluindo Portugal, tendo o apoio da Comunidade Económica dos Países da África Ocidental (CEDEAO).

Nas declarações à Lusa, Miguel Guedes terá recordado que Portugal "condenou firmemente" o golpe militar de 12 de Abril, "que interrompeu pela força um processo eleitoral em curso, julgado livre e justo pela comunidade internacional", e as "movimentações militares" de 21 de Outubro, "visto considerar que apenas pela via política pode a Guiné-Bissau voltar ao caminho do desenvolvimento e da melhoria das condições de vida da sua população".

O porta-voz do MNE terá dito também que a comunidade internacional e "sucessivos governos guineenses" têm reconhecido que "um dos principais bloqueios ao desenvolvimento da Guiné-Bissau é precisamente um excessivo peso militar face aos governos civis", situação que "tem conduzido a dificuldades no combate a um crescente narcotráfico".

"É, aliás, por isso que, infelizmente, a Guiné-Bissau tem hoje o problema de credibilidade internacional que todos conhecem", afirmou, acrescentando que os problemas entre os guineenses só podem ser superados no "estrito respeito pelos direitos humanos" e não pelo uso da força.

 

COMENTÁRIOS
Document sans titre
E-mail:
Password:
 

Ainda não tem Área Pessoal?   » Registe-se
Esqueceu a password?   » Clique Aqui

0 Comentários

Pas encore de commentaire ajouté...
Mundo

Mundo

Mundo

Mundo

Mundo

Mundo

Mundo

Mundo

Mundo

Mundo

 

 

   
ÁREA RESERVADA
 
Document sans titre
E-mail:
Password:
 

Ainda não tem Área Pessoal?   » Registe-se
Esqueceu a password?   » Clique Aqui

   
   
   
EDITORIAL
 
 
   
Document sans titre
   
 
Gazeta de Notìcias, 2009 © Todos os direitos reservados - Design by CHRISTDOWEB