ANP CHUMBA AGENDAMENTO DO PROGRAMA DE GOVERO: GENERAL EMBALÓ A UM PASSO DA DEMISSÃO   |   O "PRESIDENCIALISMO" DE JOSÉ MÁRIO VAZ   |   Quem Ganha e Quem Perde Nesta Crise de Surdos?   |   2017 ano da reforma na administração pública e de trabalho   |   «Considero-me um cidadão político... cujo primeiro compromisso é com o país, a Guiné-Bissau» - Garante o escritor Fernando Casimiro “Didinho”   |   Rss Gazeta de Notìcias
Document sans titre
Cultura
“CARTÃO DE VISITA” DA GUINÉ-BISSAU - ABÚ CANTA E ENCANTA BISSAU COM ÁLBUM “MAIS UM CHANCE” - 22-12-2011

Share |

Article posté le 22-12-2011

O jovem músico, Abubacar Bailó Camará (Abú) que para alguns críticos da música guineense “é uma promessa da nova geração de músicos capaz de levar o bom nome do país aos grandes palcos internacionais”, trouxe ao público o seu primeiro álbum discográfico intitulado “Mais Um Chance.”

 

Eram por volta das 22 horas e alguns minutos do dia 10 do corrente mês que o jovem músico, mestrado em banca e finanças nas universidades senegalesas, subiu ao palco do espaço Lenox para apresentar ao público o seu primeiro álbum discográfico produzido em Dakar (Senegal).

 

Conforme os organizadores do evento estava prevista a venda de três mil bilhetes mas, devido a limitação do espaço, acabaram por vender apenas cerca de mil bilhetes, deixando centenas de pessoas fora do recinto, que pretendiam entrar a todo o custo a fim de assistir o espectáculo daquele que é considerado “cartão de visita da Guiné-Bissau, Abubacar Bailó Camará”.

 

O álbum “mais um chance” tem 15 faixas musicais entre os quais se pode destacar “Mais Um Chance, Jantar, Dan Bu Amor, e Gasolina.

 

O lançamento do álbum contou com a participação de um outro jovem músico guineense, Ivo Cirilo Andrade (Ivex Pro) que ainda prossegue os seus estudos nas universidades senegalesas na área de arquitectura.

 

Em declarações a Gazeta de Notícias depois de descer do palco, Abú explicou que já fazia a música no país antes de se deslocar a Dakar onde teve oportunidade de desenvolver mais o seu talento. Sublinhou que decidiu empenhar-se muito mais na música e não com a intenção de ganhar dinheiro, mas porque “quero elevar o nome da Guiné-Bissau a um outro nível, ou seja representar o nosso país nos grandes palcos”.

 

“Depois de algum tempo entendi que era tempo de escrever músicas. Por isso, comecei a pensar na produção de música, com o intuito de fazer um álbum e, graças a Deus, consegui fazer o álbum que acabei de apresentar a instante. Espero que os guineenses e os meus fãs, em geral, a nível de todo o mundo, vão gostar do meu trabalho”, precisou.

 

Indagado sobre o que quer dizer “mais um chance” o título do álbum, Abú explicou que toda a agente precisa da primeira oportunidade razão pela qual, pediu uma primeira oportunidade para poder apresentar ou fazer o que pode fazer.

 

“Mais um chance, é mais uma oportunidade, mais uma experiência de poder demonstrar aos meus fãs e aos guineenses em geral aquilo que posso fazer”, disse o músico para de seguida, enfatizar que conseguiu fazer um grande esforço para que todas as suas musicais possam estar em nível aceitável, dado que para ele, hoje em dia o mercado exige mais qualidade de trabalho para poder competir com outros trabalhos.

 

Este músico assegurou que depois da gravação do álbum estavam a pensar, qual a música que devia ser apresentada ao público para apreciação, e, foi assim que, por meio de sorteio, acabaram por escolher a música Jantar que fez vibrar os fãs deste músico nas diferentes discotecas do país.

 

A reportagem da GN contactou igualmente o jovem músico, Ivo Cirilo Andrade (Ivex Pro) que antes da sua partida para o Senegal a fim de prosseguir os seus estudos universitários, estava integrado no grupo musical chamado “Parentes D” onde era conhecido por “Puto Filipado”.

 

Ivex Pro disse que ele e Abu estavam sempre juntos e pertenciam ao mesmo grupo musical em Bissau antes de seguirem para estudar em Dakar, onde Abú prosseguiu com a ideia de cantar e um dia produzir álbum. 

 

“Foi Abú que me deu o nome de “Ivex Pro”, porque me considera produtor de música, mas eu não sou produtor de música. O meu trabalho é compor e fazer arranjos musicais. Abú trabalha comigo na parte de arranjos ele é que faz a percussão; eu faço arranjos melódicos através da viola baixo, guitarra, piano… e isso tudo é nível do programa informática”, explicou.

 

Assana Sambú
 

COMENTÁRIOS
Document sans titre
E-mail:
Password:
 

Ainda não tem Área Pessoal?   » Registe-se
Esqueceu a password?   » Clique Aqui

0 Comentários

Pas encore de commentaire ajouté...
Cultura

Cultura
- APELO - 27-01-2016

Cultura
- Minino di nha Terra - 27-01-2016

Cultura

Cultura

Cultura

Cultura

Cultura

Cultura

Cultura

 

 

   
ÁREA RESERVADA
 
Document sans titre
E-mail:
Password:
 

Ainda não tem Área Pessoal?   » Registe-se
Esqueceu a password?   » Clique Aqui

   
   
   
EDITORIAL
 
 
   
Document sans titre
   
 
Gazeta de Notìcias, 2009 © Todos os direitos reservados - Design by CHRISTDOWEB